5/25/2015

Vizinhança selvagem II

Continuam as noites "estreladas" com pirilampos. É um espectáculo lindo, chegam a ser dezenas em cada moita e arbusto e parecem estar a tocar sinfonias de luz. Tentei filmá-los, mas a minha máquina não tem sensibilidade para captar luzes tão fracas, o vídeo só capta escuridão.
Temos tido outros visitantes selvagens dignos de nota.
Melros: parecem especialmente atraídos pelos pinheiros da nossa entrada.
Corujas: há dias o meu pai deu de caras com uma pousada num poste da vedação e de vez em quando ouvem-se à distância.
Mochos: há pouco tempo um mocho pequenito teve o azar de cair na chaminé da nossa lareira (que felizmente não estava acesa) e conseguimos resgatá-lo e safá-lo de boa. Assim que o trouxemos à rua, voou logo para a mata.
Rapina mistério: há uma rapina de estimação que há meses voa por cima de nós em círculos (à caça) e de vez em quando vemo-la nos seus vôos picados nos terrenos em redor. Nestes últimos dias tem-nos brindado com a sua aproximação. Da janela do meu escritório, vi-a pousar numa pedra e pouco depois lançar-se sobre o que deveria ser um passarinho distraído, pois só vi um tufo de penas brancas a voar em todas as direcções. Ontem esteve pousada no pinheiro em frente à janela e hoje pousou no portão da entrada e consegui vê-la um pouco melhor. É castanha, com o peito todo branco. Ainda não consegui identificar que tipo de rapina é, andávamos a chamar-lhe milhafre, mas também pode ser uma águia ou um falcão. É parecida com estes bichinhos:
Bútio vespeiro
Peneireiro-cinzento
Espero a oportunidade de a fotografar com o zoom, para ver se consigo identificá-la.
Entretanto tivemos um encontro imediato com uma cobra com cerca de 1.5 mts, mesmo à porta de casa. As cadelas deram o alarme: fui ver o que se passava e deparei-me com as cadelas a morder a cobra e a cobra a morder as cadelas. Foi difícil conseguir afastá-las, para a cobra poder fugir, mas lá se conseguiu enfiar debaixo dumas pedras, para desgosto das minhas meninas.
Meninas que são aparentemente as responsáveis pelos danos que se andavam a verificar na horta. Mas disso eu falo depois.

4 comentários:

  1. É realmente um espectáculo lindo. Este ano ainda não tive a sorte de ver nenhum pirilampo, talvez mais para a frente :)
    Gostava de ver a águia, nunca vi nenhuma (sem ser no Estádio da Luz...). Por aqui o que se vê bastante são os milhafres.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  2. Este cantinho deve estar ainda impoluto, pois há abundância de pirilampos, joaninhas, borboletas, além dos bicharocos maiores. Quanto à águia, não posso garantir que seja mesmo uma, no início julgávamos ser um milhafre, mas não encontro nenhuma espécie que seja mais parecida com o bichito que aqui anda do que a tal águia d'asa redonda. Mas posso estar enganada, as aves não são a minha especialidade :)

    ResponderEliminar
  3. Hoje vi o bicho um bocadinho mais perto e agora já não estou tão convicta que seja a tal águia, por isso mudei o texto. Permanece como rapina não-identificada, até identificação mais concreta.

    ResponderEliminar
  4. Oooohhh, que pena :( Mas continua a visitar os vizinhos humanos :)

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página