7/27/2007

Adeus à horta na varanda

Nunca me lembro de levar a minha máquina fotográfica para o escritório e por isso as únicas fotos que tenho da varanda "verde" no seu estado mais actual, foram tiradas por uma colega e não mostram muito das plantas. Mesmo assim, aqui fica uma dessas fotos, como última testemunha da evolução da minha horta de varanda.
Milho atrás de mim, tomates do meu lado esquerdo, morangos e cenourinhas do lado direito e muitas flores pelo meio. Mas apesar de verdejante, a minha horta de varanda continua a causar algumas "polémicas". A colega que me tirou a foto arrancou cerca de 70% das cenouras e deitou-as para o lixo, alegando que considerava tortura para as cenouras tê-las em tão grande densidade num vaso. Eu expliquei-lhe que tenho estado a desbastá-las progressivamente enquanto vão crescendo e que tenho comido a rama daquelas que recolho! Ela simplesmente arrancou 2/3 das cenouras, deixou o vaso praticamente despido de plantas e deitou toda aquela verdura comestível no caixote do lixo! E ficou espantada quando eu lhe disse que a rama também é comestível! E diz-se ela agrónoma com especialização em agricultura biológica! Estes agrónomos de escritório precisam mesmo de uma horta na varanda ou qualquer dia esquecem-se do que é uma planta.
Entretanto acabei o meu estágio e em breve voltarei a Portugal. Receio pelo futuro das minhas plantas e o mais certo é que aquele cantinho verde vá sofrer alterações. Os meus colegas decididamente preferem plantas "normais" e que não necessitem de cuidados e estão aos poucos a encher o espaço com plantas decorativas que não vão ter nenhum outro papel além do meramente decorativo. Enfim, pelo menos terão plantas, o que já é um ponto positivo.
Em tempos prometi recolher fotos dos canteiros de Bruxelas, mas confesso que não tive tempo nenhum para isso. Talvez ainda o faça antes de ir embora, mas desta vez não prometo nada.

Número total de visualizações de página