8/28/2008

Verde Eufémia

Devido à educação que me deram, estou totalmente condicionada a ficar quietinha no meu cantinho, a fazer coisas que não incomodem ninguém, a não dar nas vistas, a sentir-me embaraçada se ferir susceptibilidades a alguém e por isso nem mesmo gosto de participar em manifestações pacíficas quanto mais aderir a acções mais fortes contra os poderes instalados.
No entanto tenho perfeita noção das manigâncias que se passam no mundo, que muitos classificariam de devaneios de activistas radicais conspiracionistas, mas que são reais e bem documentadas.
Por isso admiro aqueles que têm a coragem de sair do sofá e ir para a rua manifestar-se, protestar, exigir, defender direitos e liberdades e que não receiam ser presos, julgados, marginalizados e, infelizmente ainda em muitos casos pelo mundo fora, torturados e mortos. São os meus heróis e tenho-lhes o maior respeito e devoção por lutarem por todos nós, mesmo por aqueles que lhes fazem mal.
O ano passado quando se deu o caso Verde Eufémia eu estava lá pelos lados de Bruxelas e não assisti às torrentes de veneno que foram distiladas contra os activistas que fizeram a acção, mas quando soube do sucedido fiquei surpreendedida com as reacções completamente descabidas dos portugueses. Diz-se que somos um povo de brandos costumes, mas eu acho que já passámos dessa fase para passarmos a ser simplesmente uns cobardolas. Temos horror absoluto de quem ousa quebrar as convenções e deus nos livre de coisas como "desobediência civil"! Valha-nos mas é Santo Salazar para meter na ordem estes jovens drogados que não querem mas é trabalhar!
Aqui fica um video elucidativo sobre a famosa acção de Silves e o desejo de que um dia não seja mais preciso que as pessoas tomem este tipo de atitudes, pois quem estiver no poder estará lá para garantir as nossas liberdades e direitos e não para servir interesses obscuros e encher os bolsos à grande.
Podem também assinar a petição de solidariedade com o Movimento Verde Eufémia e visitar o seu site.


7 comentários:

  1. É o meu primeiro comentário neste blog, e receio que não seja concordante.
    Também eu sou contra os transgénicos. Também eu sou a favor de uma cultura biológica. Mas assim, não!!!
    Não sabia que o Algarve tinha sido declarado Zona Livre de Transgénicos, portanto foi uma agradável surpresa. E por esta mesma razão, digo outra vez "Mas assim, não!!!"
    Manifestação, SIM; providência cautelar, SIM; outras formas de luta que não impliquem violência nem destruição, SIM SIM SIM.
    Mas demostrarem o seu ódio pelos transgénicos destruindo algo que é de outra pessoa, não. No vídeo aparecia qualquer coisa tipo "...[agrobiotecnologia?]que continua a minar os direitos democráticos dos cidadãos..." E o Produtor? não tem também direitos democráticos? Mesmo que se destrua 1ha e depois se lhe dê semente para 51ha... Assim, não... Fale-se com o produtor, explique-se, demostre-se... Façam-se sessões de esclarecimento, cursos de agricultura biológica e convidem-se estes produtores a vir a estes cursos (à borla... para despesas, já basta o campo). Não digo que todos os que receberem o convite vão, nem que todos os que forem sejam "convertidos". São só ideias...
    NÃO aos transgénicos... (mas também) NÃO a este tipo de acções...
    Irina, não desanime com este meu comentário e continue o bom trabalho.

    ResponderEliminar
  2. :) Agora para aumentar a confusão eu digo que tens toda a razão e eu concordo contigo, mas também concordo com o que escrevi. Serei esquizofrénica?
    Sendo pacifista e como disse no post, condicionada a não me meter nestas coisas, também fico incomodada com este tipo de acção. Mesmo assim e apesar disso, admiro quem as faz, pois é preciso muita coragem e desprendimento. A maior parte das pessoas que garantem que nunca o fariam, por muito mal que o mundo esteja, fá-lo pura e simplesmente por falta de coragem de pôr em causa o seu status quo e o funcionamento do mundo, e não por terem uma moralidade pacifista inabalável. Penso que é mais por isso que admiro os que o fazem, porque têm um papel imprescindível em abalar os nervos das pessoas, tanto os que cultivam OGM como aqueles que não gostam deles mas se limitam a assinar petições quando estas vêem ter com eles(eu confesso-me desde já como sendo um desses activitas de sofá, por isso não estou a querer ofender ninguém).
    Duvido que tenha esclarecido melhor a minha posição, mas também não era bem isso que eu tinha em mente :)

    ResponderEliminar
  3. Não aumentas a confusão, percebo-te bem. Eu também sou a favor de muita coisa e contra outras tantas, e para muitas delas, o meu apoio é "apenas" assinar uma petição quando ela vem ter comigo. Neste caso, a minha posição é que sim senhor, estou sintonizado na onda do "OGM's NÃO", mas não assino a petição por ser em solidariedade à parte negativa deste acontecimento... a destruição de propriedade privada e posteriores consequências judiciais/criminais. Para por as coisas muito simplificadas, e quanto à acção deles, concordo com o conteúdo, não concordo com a forma, e não sou solidário precisamente por causa disso. Se fosse uma petição tipo "vamos declarar Portugal Zona Livre de Transgénicos, e queremos que fique na Lei"... se calhar já assinava, mesmo que fosse apresentada pelo MVE. Desculpem-me o mau feitio mas comigo é pão pão queijo queijo.

    ResponderEliminar
  4. Antes demais, agradeço o Post.Já tinha conhecimento deste episódio no algarve mas não tinha visto imagens~.

    E concordo plenamente com o João: - Assim, Não!!

    Na minha opinião, violência gera violência, gera incompreensão e irracionalidade.

    Mas sinto-me um pouco dividida (tal como a Irina) pois embora eu seja pacifista por natureza, sempre com medo de ferir susceptibilidades, e empenhada em começar por me mudar a mim, em primeiro plano, para conseguir mudar o mundo, tenho plena consciencia que esta utopia não nos leva a lado nenhum (infelizmente).

    Os interesses economicos sairão sempre vencedores. O Planeta sairá sempre perdedor. E a ignorância da população em relação a certas ameaças continuará a reinar, enquanto não se tomar uma atitude mais notória.

    Este caso abalou os media. O perigo dos OGM´s foi de facto noticia por força desta iniciativa no algarve. É provavel que tenha servido para acordar consciências. Mas poderia ter-se tornado num combate violento e ter resultado em mortos e feridos! Há que evitar estes confrontos. Até porque há muitas pessoas que se aproveitam destas "lutas" verdes para deixar sair a sua furia, tal e qual como há pessoas que só gostam de futebol para poderem estravazar emoções.

    Beijinho.
    Até breve.

    ResponderEliminar
  5. Olá Irina, eu compreendo a tua posição, mas tenho que concordar com o João. Também sou absolutamente contra os transgénicos e a favor de um movimento de (agri)cultura ecológica, mas não concordo nada com este tipo de acções, porque fazem com que estes movimentos percam a credibilidade junto de pessoas que ainda podem tomar posição de um lado ou de outro. A violência sempre foi a pior forma de tentar mudar as coisas e só funciona quando se tem força. E não é o caso, infelizmente a força está do lado das grandes empresas de biotecnologia.

    Ser activista de sofá não é assim tão mau, na realidade é a melhor opção quando fazes do activismo o teu modo de vida e és um exemplo positivo para os outros, e parece-me que esse é o teu caso.

    ResponderEliminar
  6. Pois. Assim não. Eu também não luto com esses métodos e percebo que haja quem perca a paciência quando vê esgotarem-se os recursos legais por favorecimento descarado. Ou seja assim não...mas ainda bem que alguém o fez..ehehehe:)

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22:46

    Eu concordo com a Irina. Eu sou todo pela nao-violencia, mas se alguém vos encostar uma faca à garganta deixam-se morrer ou atacam em auto-defesa?
    Eu sou contra os transgénicos, e defendo que se destruam esses campos pois são como bombas atómicas ambientais.
    Sou biólogo molecular e estou muito mais consciente do imenso perigo que muitos de vocês. Na Segunda Guerra mundial deixavam o Hitler matar os judeus todos?
    Desculpem e minha agressividade verbal, mas compreendam que os transgénicos contaminam com genes produtores de toxinas os alimentos que comemos e cruzam-se até como os vegetais que vocês crescem lá em casa, se o pólen transgénico for transportado pelo vento.
    A minha força ao Verde Eufémia!

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página