1/18/2007

Comida biológica

Não tenho muito para contar, porque não tenho tido tempo nem condições para me dedicar à permacultura ou à horticultura. Estou mais dedicada ao meu desenvolvimento pessoal e à minha aprendizagem noutros campos.
Por enquanto tudo o que posso dizer é que a minha experiência de consumo ecológico e biológico teve um resultado positivo. Consegui com o meu pouco dinheiro comprar apenas alimentos biológicos e produtos ecológicos. Tornei-me cliente habitual das lojas Bioshop e Shanti, onde compro semanalmente a minha comida, mas também dentríficos, shampôs, produtos de limpeza, papel higiénico, etc, sempre ecológicos. Estranhamente não notei grande diferença nos meus gastos ao fim do mês. Deve haver muitas razões para isso, começando pelo facto das diferenças de preço não serem assim tão significativas e acabando no facto de que quando nos tornamos consumidores conscientes além de consumirmos melhor passamos a consumir menos, o que acaba por equilibrar as finanças.
Continuo espantada com o consumo vestigial de frutas e hortícolas da maioria das pessoas. Comem abundantemente massa, arroz, batatas, pão com charcutaria e queijo e tudo o mais que que seja rico em calorias mas não em nutrientes, acompanhado por vezes de algum tipo de alimento vegetal em quantidades muito, muito reduzidas. Fruta é coisa que comem apenas de quando em quando.
A desculpa das pessoas nunca é que não gostam de vegetais, é sempre a de que são caros, o que me deixa ainda mais incrédula, pois não só eu consumo 10 vezes mais vegetais e fruta que a pessoa média, como agora só compro produtos biológicos e mesmo assim com o pouco dinheiro que tenho, consigo não passar fome e ainda ter dinheiro para viajar, sair com os amigos, ir ao cinema, etc.
Antes achava que havia razão nesse argumento, mas agora sei que excepto para quem é verdadeiramente muito pobre, a desculpa do dinheiro é muito esfarrapada e uma escapatória fácil a ter que se reflectir sobre o que se come.

5 comentários:

  1. Acho que o dinheiro é uma desculpa da treta, ainda por cima a fruta da época normalmente é barata.

    ResponderEliminar
  2. Acabei de saber que uma colega minha comeu 2 maçãs há 2 meses e que para ela isso já foi um esforço tremendo... Diz que tem outras 2 maçãs no frigorífico à espera da próxima vez em que sinta que deve voltar a comer fruta. E os únicos vegetais que ela come é o molho de tomate que põe no esparguete... Nem sei como é que as pessoas sobrevivem dezenas de anos a comer assim... O corpo humano é mesmo resistente.

    ResponderEliminar
  3. Como diz Dominique Loreau no seu recente livro A Arte da Simplicidade " Num mundo de excessos, simplificar a vida é enriquecê-la", ela também ao viver para o Japão teve que se adaptar a um estilo de vida , mais saudável. Penso que é importante passar a mensagem de que a fruta e os legumes não fiquem sempre para segundo plano. Aliás se vermos bem a quantidade dos alimentos que nos servem num restaurante "normal" as pequenas partes correspondem sempre aos vegetais e fruta só mesmo se houver "espaço no armazém" como quem diz.
    Gostei muito do teu post.

    Beijinho em tons de rosa!

    ResponderEliminar
  4. Visualmente muito bom este seu blogue e com um excelente conteúdo, um covite para visitar o www.a-sul.blogspot.com Obrigado.

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Me encantei com seu blog!
    gostei de tudo !
    Tenho um blog sobre o meio ambiente e gostaria muito de trocarmos links!
    Para vir ti visitar frequentemente!
    Minha url é www.salveonossoplaneta.blogspot.com
    Bjus e esperanças*
    Conto com sua visita e opnião!
    Nádia Bonani*

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página