6/07/2006

Quinta da Harpa

Uma das razões porque deixei de escrever tão frequentemente no blog foi ter começado a trabalhar em part-time na Quinta de São João dos Montes, pertencente à Associação Harpa (onde frequento o Grupo de Estudos de Agricultura Biodinâmica).
Estou a cuidar da horta e ajudo nas diversas tarefas da quinta. Também estou a ajudar na organização de festas de aniversário para crianças na Quinta aos fins-de-semana. Como contrapartida, deixei de ter tempo e vontade para me dedicar à minha própria horta, a qual não visito há quase 2 meses e que deve estar uma desgraça.
O meu projecto de transformação do terreno em À-do-Barriga passou para 2º plano e por razões que revelarei mais tarde, é provável que tenha que o abandonar por completo... Mas estou a aproveitar esta oportunidade de trabalho para continuar com as minhas experiências e aprendizagem em horticultura e permacultura, pelo que continuarei a escrever neste blog.
A Harpa é uma associação com raízes na Antroposofia e dedica-se principalmente à Educação, realizando vários tipos de cursos e seminários para adultos ao longo do ano e tendo também em funcionamento um infantário que segue os princípios da Pedagogia Waldorf. Esta associação pretende pôr a Quinta de São João dos Montes a produzir frutos e hortícolas, segundo os métodos da Agricultura Biodinâmica, para consumo interno e para venda.
Na Quinta, trabalha a tempo inteiro o Zé, que se tem esforçado imenso para pôr as coisas a mexer. Mas o trabalho que tem de ser feito é interminável e nem sempre ele consegue dar conta do recado, por isso a Harpa decidiu contratar-me temporariamente para o ajudar, uma vez que eu andava desesperadamente em busca de um part-time.
A minha principal responsabilidade é fazer a manutenção da horta, que foi em grande parte cultivada pelo Zé e pelo grupo de Estudos de Agricultura Biodinâmica. Também participo em qualquer outra actividade em que a minha ajuda seja necessária: desde a monda de árvores de fruto até à produção de doces e elixires com frutos da Quinta, já fiz de tudo um pouco. Até agora ainda não faltou trabalho para fazer e entusiasmo da minha parte também não :)
Para começar a apresentar a Quinta, mostro aqui uma foto-montagem e uma vista aérea, com uma indicação grosseira dos limites (a vermelho) e o ribeiro que a atravessa (a azul).
A Quinta tem uma zona de patamares junto ao ribeiro, onde se localiza um pequeno pomar de citrinos e a horta. É nesta zona que se encontra também um tanque que vai ser recuperado. Perto dos citrinos foram recentemente transplantadas amoreiras e serão cultivadas leguminosas para adubo verde, pois nessa área o solo é bastante pobre em matéria orgânica. No patamar acima, onde se encontra a horta, estão cultivados neste momento, milho, couves, brócolos, alfaces, cenouras, tomates, pimentos, rabanetes, couves-rábano, acelgas, abóboras, consolda, calêndula, chagas e milefólio. Na zona de encosta, mais afastada do ribeiro, encontra-se um pomar, que devido ao seu estado de abandono e tamanho, precisa de muito trabalho e dedicação. Nessa zona há também uma pequena área de aromáticas e morangos a crescerem em terraços.
Desde que comecei a trabalhar na Quinta, há cerca de mês e meio, que o meu maior contributo foi para a evolução da horta. Em baixo mostro a horta no seu início e como está neste momento.



As hortícolas foram transplantadas e semeadas nas datas propícias, segundo um calendário biodinâmico e nelas foi aplicado o preparado 500 (há informação sobre estes preparados na internet). Ainda estou a tentar perceber a forma como funcionam, mas não tenho dúvidas que funcionam, pois tentei transplantar algumas hortícolas sem ligar a estes cuidados biodinâmicos e apesar de algumas terem sobrevivido, os resultados foram muito maus. As alfaces que transplantei e sobreviveram ficaram raquíticas - não tenho fotografias, mas garanto que não passaram dos 12 cms de diâmetro. E em oposição vejam só o tamanho destas alfaces biodinâmicas! Muitas delas têm cerca de 40 cms de diâmetro e algumas campeãs ultrapassam os 50 cms de diâmetro.
Brevemente escreverei mais acerca dos meus trabalhos nesta Quinta.

1 comentário:

  1. Fiquei interessado nesta secção. As alfaces dão-me imensos problemas, espigam antes de ficar com um tamanho decente.

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página