5/27/2012

Café bio em cápsulas

Esta nova moda dos cafés em cápsula que servem exclusivamente na máquina de café de determinada marca, incomodou-me desde o primeiro dia.
Primeiro, quem compra uma máquina de determinada marca, fica obrigado a consumir exclusivamente café daquela marca, o que é um atentado à liberdade de escolha. Se a empresa falir ou por alguma razão deixar de fabricar aquele tipo de cápsulas, será que reembolsa o cliente pelo investimento na máquina? Ou se simplesmente decidir subir o preço das cápsulas e a pessoa quiser mudar de sistema, quem a reembolsa do investimento na máquina?
Segundo, o custo ambiental de se fazerem cápsulas de plástico ou alumínio para cada dose de café, mais o custo ambiental destas irem para o lixo ou mesmo serem recicladas é muito superior ao de uma embalagem de café com 30 ou 40 doses.
Claro que ninguém é obrigado a aderir a estes sistemas de cápsulas, mas com a explosão de marcas que agora oferecem esta opção, há a possibilidade de um dia não termos senão essa opção. O pensamento monopolista por trás de todo este conceito está errado.
Curiosamente, apesar das questões que me incomodam com estas máquinas, acabaram por vir parar uma a casa da minha mãe e outra à minha.
Claro que eu não podia deixar de fazer alguma coisa para contornar os problemas que elas levantam. Experimentei vários métodos de piratear as cápsulas usadas para poder usá-las com outro café, especificamente café biológico e de comércio justo. E depois das contas feitas, não é que fica 3 a 4 vezes mais barato do que o café convencional de comércio "injusto"?


Uma das máquinas é da Nespresso e o método que funcionou melhor com estas cápsulas foi colocar um pedaço de filtro de café entre a cápsula e a grelha em que esta encaixa. [É preciso retirar o depósito de cápsulas usadas e colocar a cápsula e o filtro na posição certa, ajudando a posicioná-la por cima e por baixo]. Tentei com papel de alumínio, mas era frágil de mais e encarquilhava em vez de furar. Talvez resulte se for um papel de alumínio forte e não aquele que se usa para embrulhar sanduíches, mas eu prefiro o filtro de café, pois é biodegradável.



A outra máquina é da Lavazza e com esta o papel de alumínio funciona muito bem e permite que se preparem as cápsulas com antecedência e se coloquem de reserva, ao contrário das outras que têm que ser preparadas na hora, mas também hei-de experimentar com papel de filtro.



As marcas destes cafés desaconselham a reutilização das cápsulas argumentando que o método poderá estragar as máquinas. Não vou dizer que é mentira, pois poderá acontecer, uma vez que estes sistemas estão desenhadas para funcionar a certas pressões e qualquer perturbação poderá causar desarranjos a longo prazo. Mas até agora não tive qualquer problema, excepto durante as minhas primeiras experiências em que entupi a máquina Nespresso algumas vezes (mas nada que uma passagem de água não resolvesse) e desde que encontrei o método mais adequado, não voltou a acontecer.

2 comentários:

  1. Anónimo11:52

    Olá experimentei o teu metodo com filtro de papel mas ficou tudo muito sujo e não gostei muito. Se quiseres experimenta o meu metódo. O segredo de reutilizar capsulas está na quantidade de café que colocas, 5,5 gramas +-, é muito importante a pressão que se faz ao comprimir o café na capsula, (Muita pressão= café muito queimado e custa a sair, Pouca pressão= café aguado, média pressão= café bom e com bastante creme.) . Dica importante se não fizer pressão no café, a agua nunca vai prefurar a folha de aluminio colocada para selar as capsulas. Para finalizar com folha de aluminio de cozinha corta um quadrado ou circunferencia com mais pouco mais de meio centimetro a volta da capsula e dobra e sela eficasmente a capsula. Quando a maquina começa a trabalhar no inicio sai as vezes um pouco de agua, mas depois de perfurar a capsula sai o nosso belo café, colocamos a nossa capsula e voilá o nosso café melhor e mais saborosos que o nespresso por 0.05€ por capsula. Espero ter ajudado.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado.. Muito boa dica. Vou ter experimentar.

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página