11/06/2007

Vida nova, varanda nova ;)

Olá novamente. O vosso entusiasmo é contagiante e por isso vou esforçar-me por continuar a fazer algo que valha a pena ser aqui mencionado. Estou neste momento a viver no Porto e no meu poiso temporário tenho uma varanda que pretendo encher de coisas verdes (como não podia deixar de ser).
Estou só a tentar arranjar algum tempo e materiais que possam servir de recipientes para plantas e logo darei notícias.
Quanto às perguntas que me fizeram mais recentemente, lembro-me que alguém queria saber o nome das flores roxas das fotografias, mas infelizmente não sei e não consegui encontrar a resposta. Outra pergunta insistente que me fizeram é como é que combato as pragas que atacam as plantas de varanda, principalmente os danados dos pulgões. Em Bruxelas fui confrontada com esse problema, ataques de pulgões e de outros insectos que nem nunca tinha visto. Mas decidi não fazer nada e esperar para ver. Eles enfraqueceram algumas plantas, mas depois seguiram com a vida deles e as plantas recuperaram sem que eu tenha interferido.
Correndo o risco de vos soar muito "do além", acho que o melhor remédio é dar boa energia às plantas, sorrir-lhes e acreditar que elas serão fortes. Elas sentirão o apoio moral e sobreviverão ao pior ;)
Afinal de contas uma horta de varanda não tem por objectivo garantir-nos a auto-suficiência alimentar nem uma produtividade máxima, pelo que não vejo que seja problemático que se percam algumas plantas pelo caminho.

6 comentários:

  1. A resposta a como tratar dos pulgões.

    Há um método eficaz. Pelo menos comigo funcionou.
    Cultivar nalguma zona, uma espécie de tanaceto, o Tanacetum parthenium ou também chamado Chrysanthemum Parthenium.
    Tem muitos nomes vulgares, alguns que causam confusão pois também se lhe associa o nome Matricária.

    Além de atrair todos os pulgões deixando as outras plantas livres, também é medicinal para as dores de cabeça e de fácil cultivo

    ResponderEliminar
  2. Já agora gostava de discutir contigo o tamanho dos vasos que usaste em cada uma das plantas. Especialmente do milho!

    Não vá eu estar a cultivar plantas com demasiada densidade em alguns casos e com espaço a sobrar noutros!

    Eu tive boa produção de várias plantas, mas as couves roxas e de bruxelas não deram praticamente nada e as cenouras cresceram pouco. O que tive mais sucesso foi com alfaces, rabanetes, tomates, pimentos e uma série doutras coisas e ervas

    se puderes envia-me um email para pc bessa AT gmail

    ResponderEliminar
  3. Anónimo18:35

    Olá Irina, é como se a conhecesse, espero q a vinda para Portugal lhe deixe um pc mais de tempo p blogar.
    Felicidades da Fátima Freitas, do Funchal

    ResponderEliminar
  4. Irina, até que enfim que dás noticias!!
    Sabes que em relação aos pulgões foi isso mesmo que fiz! Não apliquei nada, simplesmente ia todos os dias às minhas plantinhas, catá-las e dar-lhes animo.

    Os tomateiros agora estão viçosos e a dar a flor e fruto que não deram na época certa :-)

    As couves também venceram a praga. Julgo que o facto de ter aplicado algum composto caseiro ajudou a vitaminar as plantinhas.

    Bom recomeço. Aguardamos noticias verdes. Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. Olá Irina (agora fiquei baralhada com a data deste post)!
    Ainda bem que já estás perto de nós e assim podemos falar de plantas que sabemos mais ou menos como se comportam neste nosso clima.
    Ficamos a aguardar notícias das tuas experiências na varanda.
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  6. Anónimo22:32

    sou brasileira e faço biologia e sempre quis ter uma horta e um jardim onde moro tem um pequeno terreno e vendo sua horta cultivada em vasos achei muito inspirador e estou com vontade de começar a cultivar um .voce esta de parabens
    um abraço, solange.

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página